A marca que simboliza o Simpósio Brasileiro de Paleontologia Antártica foi idealizada pelos coordenadores do II SIMPOANTAR, paleontólogos Marcelo de Araújo Carvalho e Douglas Riff, para ser utilizada permanentemente a partir desta segunda edição do evento. 









         
 
 
 
 
 
Inspirada no símbolo da Sociedade Brasileira de Paleontologia (veja uma breve história da marca da SBP aqui), o símbolo do SIMPOANTAR traz o mapa da Antártica ao fundo, em cor verde, referenciando-se assim à Antártica pretérita, coberta por uma flora gondwânica de clima temperado, cujos fósseis macro e microscópicos abundam nos depósitos mesozoicos e cenozoicos por todo o continente, e especialmente na Península Antártica e arquipélagos vizinhos. Sobreposto, encontra-se uma ilustração do amonita Gunnarites antarcticus (Kossmaticeratidae), espécie comum nos depósitos cretácicos de idade Campaniana–Maastrichtiana (72 a 68 milhões de anos atrás) da Bacia Larsen expostos abundantemente nas ilhas Vega e Snow Hill, e mais restritamente nas ilhas Cockburn, James Ross e Marambio (Seymour), do Arquipélago James Ross. O espécime utilizado como modelo trata-se de um exemplar com cerca de 15 cm de diâmetro proveniente do membro Cape Lamb (Formação Snow Hill Island) da Ilha Vega. Importante marcador bioestratigráfico naquela bacia, a espécie também ocorre em depósitos contemporâneos na Bacia de Magalhães (Chile), e espécies afins são conhecidas da África do Sul, Austrália e Nova Zelândia. Em alusão à representação do amonita Coilopoceras lucianoi (Coilopoceratidae), ilustrado em amarelo no símbolo da Sociedade Brasileira de Paleontologia, Gunnarites antarcticus é também aqui ilustrado em amarelo, aludindo assim às cores do pavilhão nacional brasileiro. Posicionado entre o mapa da Antártica e o amonita, um martelo geológico completa a figura central do logotipo, aludindo ao trabalho de campo e à velha picareta, presente no símbolo da SBP. Os dizerem periféricos nomeiam o evento e registram a primeira realização do Simpósio Brasileiro de Paleontologia Antártica, em 2019 no XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia (XXVI CBP), em Uberlândia, Minas Gerais.